os-superconectados-ou-equilíbrio-navegar-na-internet os-superconectados-ou-equilíbrio-navegar-na-internet

O equilíbrio ao navegar na internet

O equilíbrio ao navegar na internet

Navegar na internet é uma maravilha, todo mundo sabe. Com ela é possível fazer praticamente tudo sem sair de casa. Dá, por exemplo, para organizar uma festa de casamento sem sair do lugar – da encomenda de flores e confecção de convites à contratação de músicos e de um serviço de buffet.

Dá também para planejar toda a viagem de lua de mel, incluindo reservas de passagens, hotel e passeios. A web permite tanta coisa que, de solução ela pode se transformar em um problema.

Em excesso, até água pode fazer mal. O desafio, porém, é identificar até onde vai o uso consciente e equilibrado e onde começa o exagero e até o vício.

Pesquisas

Uma pesquisa da eMarketer feita nos Estados Unidos e divulgada no ano passado afirma que as pessoas passam uma média de 5,5 horas por dia conectados, metade desse tempo por meio de um smartphone.

Mas a intensidade varia de acordo com o grupo social. Em outro estudo, feito com mulheres universitárias, a média diária chega a 10 horas.

Já uma pesquisa feita na Grã-Bretanha com jovens de 18 a 24 anos mostra que a primeira coisa que 75% dos entrevistados fazem ao acordar é checar o celular e navegar na internet.

Em média, essas pessoas mexem no smartphone a cada 4,3 minutos – o que dá mais de impressionantes 200 vezes ao dia. Porém como em toda compulsão, a pessoa não reconhece o uso excessivo em si mesmo, apenas nos outros.

É o que confirma um levantamento conduzido em 2015 pelo Instituto Gallup nos Estados Unidos: 61% dos entrevistados afirmam usar o smartphone menos que outras pessoas que eles conhecem.

Esse uso tão intenso significa vício? Não necessariamente. Há muita controvérsia entre os profissionais da saúde sobre a questão. Muitos insistem que é preciso diferenciar uso intenso de uso compulsivo, que é quando a pessoa se sente física e emocionalmente mal se não estiver online.

Uso excessivo ou vício?

Também é preciso levar em conta, segundo alguns estudiosos, se a pessoa com esse tipo de compulsão tem problemas anteriores, canalizados na internet.

Pessoas com alguma dificuldade de relacionamento social, fóbicas, tímidas demais ou com quadros depressivos, em contato com o computador, acabam abusando de seu uso o que acarreta prejuízos em sua vida social, financeira e até profissional”, afirma o médico André Malbergier, professor do Departamento de Psiquiatria na Faculdade de Medicina da USP e coordenador do Grupo Interdisciplinar de Estudos de Álcool e Drogas.

“Muitos perdem o emprego, porque se aproveitam de que o trabalho requer o uso do computador para despender tempo com jogos, e-mails ou pornografia.”

Para a psicóloga e socióloga americana Sherry Turkle o problema é maior do que parece. Professora do MIT, o mais importante centro de estudos de tecnologia do mundo, ela está longe de ser uma pessoa que não gosta de tecnologia.

No entanto é justamente a sua experiência nessa área que lhe dá autoridade para afirmar. “A nova revolução nas comunicações propiciada pela internet está degradando as relações humanas“.

Segundo ela, o problema está em todos os tipos de relação, como marido-mulher e pais-filhos. A preocupação maior da especialista é com os jovens, que já nasceram nesse ambiente digital.

Geração conectada

Ela afirma que as crianças e adolescentes não estão aprendendo a ficar sozinhos e, por isso, estão perdendo a capacidade de ter empatia, até de fazer contato visual com outras pessoas.

“É estar que ensina as pessoas a procurar outras pessoas e a vê-las como seres independentes e separadas”, diz ela, autora de uma pesquisa que mostra uma queda de 40% na empatia entre estudantes universitários nos últimos vinte anos.

E se você está começando a pensar se não estaria usando demais a internet em detrimento dos contatos pessoais, que tal fazer um teste?

O Instituto Delete, uma empresa que desde 2008 pesquisa o impacto da tecnologia no comportamento humano. O instituto criou o seguinte questionário para você mesmo ver se anda abusando ou não da internet no dia a dia.

Faça o teste:

Para avaliar o seu nível de dependência, atribua à resposta a cada pergunta o valor adequado segundo a escala abaixo. Vá anotando à parte os números enquanto responde, pois você vai precisar somá-los no final.

  • 0 – não se aplica
  • 1 – raramente
  • 2 – ocasionalmente
  • 3 – frequentemente
  • 4 – quase sempre
  • 5 – sempre

Perguntas

  • 1. Está ligado à internet mais tempo do que pretendia?
  • 2. Negligencia tarefas domésticas para passar mais tempo conectado?
  • 3. Prefere a excitação da internet à intimidade com o seu parceiro?
  • 4. Estabelece novas relações com outros usuários na internet?
  • 5. As pessoas próximas de você se queixam sobre o tempo que passa conectado?
  • 6. Os seus afazeres são alterados devido ao tempo que passa conectado?
  • 7. Verifica o e-mail antes de qualquer outra coisa que precise fazer?
  • 8. O seu desempenho ou produtividade no trabalho sofre devido à internet?
  • 9. Tem uma atitude defensiva quando alguém lhe pergunta o que está fazendo na internet?
  • 10. Bloqueia os pensamentos desagradáveis sobre a sua vida com pensamentos reconfortantes da internet?
  • 11. Quando está offline fica com vontade de se conectar novamente?
  • 12. Tem receio de que a vida sem internet seja chata, vazia e sem alegria?
  • 13. Grita ou se irrita se alguém incomoda enquanto está na internet?
  • 14. Perde o sono quando fica até muito tarde na internet?
  • 15. Fica preocupado com a internet quando não está conectado ou fica imaginando o que poderia estar fazendo agora na internet?
  • 16. Diz a si mesmo “só mais um pouquinho” quando está na internet?
  • 17. Tenta reduzir a quantidade de tempo que passa na internet e não consegue?
  • 18. Tenta esconder a quantidade de tempo que passou na internet?
  • 19. Escolhe passar mais tempo na internet em vez de sair com outras pessoas?
  • 20. Sente tristeza, instabilidade ou nervosismo quando não está na internet e tudo isso desaparece quando volta a estar conectado?

Some os números que selecionou para cada resposta para obter uma pontuação final. Quanto mais alta for a pontuação, maior é o seu nível de dependência da internet.

Resultados

  • 0-20 pontos: Você utiliza a internet com consciência. Por mais que esteja muito presente no seu dia a dia, você ainda consegue ter equilíbrio para saber como usar o recurso.
  • 20-49 pontos: Você é um utilizador médio. Talvez navegar na internet seja um pouco além da conta, mas você tem controle sobre a sua utilização.
  • 50-79 pontos: Você começa a ter problemas ocasionais ou frequentes devido ao uso da internet. Deve considerar o impacto na sua vida por ficar ligado conectado com frequência.
  • 80-100 pontos: Navegar na internet está causando problemas significativos na sua vida. Deve avaliar as consequências desses impactos e aprender a lidar com a web de modo mais saudável e produtivo.

Curtiu essas dicas para navegar internet? Deixe sua opinião nos comentários!

Fonte: Dialogando - O equilíbrio ao navegar na internet (2016)

Deixe uma resposta

O campo mensagem deve conter pelo menos 3 caracteres
O equilíbrio ao navegar na internet 2020-01-24 12:19:39
Newsletter

Receba nossas notícias e fique por dentro de tudo ;)