Dialogando Dialogando

Educação no trânsito: como pais e escolas podem ajudar a criar futuros motoristas mais conscientes

Educação no trânsito: como pais e escolas podem ajudar a criar futuros motoristas mais conscientes

O triciclo de plástico para baixinhos (conhecido como “tonguinha” nos anos 80) costuma ser o primeiro contato das crianças com o espetacular mundo da pilotagem. Por sorte, nossos minipilotos estão bem mais protegidos dirigindo suas máquinas nos quintais das casas do que nas arriscadas ruas e estradas do Brasil.

No país, a defasagem de educação no trânsito é assustadoramente letal. “Uma pessoa morre a cada 15 minutos por causa de acidentes. A cada 2 minutos, 1 ser humano sofre sequelas por ferimentos”, afirma José Aurélio Ramalho, Presidente do Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV).

No Maio Amarelo, as iniciativas de instituições públicas e privadas para a conscientização voltada ao trânsito seguro se intensificam. A ação faz parte da agenda de escolas que incentivam a educação no trânsito em conjunto com crianças, pais e adolescentes, por meio de ferramentas digitais ou presenciais.

Portanto, no auge da tecnologia, não tem desculpas! Se o ensino é remoto, o trabalho pelo trânsito seguro pode tranquilamente acontecer no universo on-line.

Inspiração

Escolas podem contribuir (e muito!) para a construção de gerações mais conscientes sobre o tema, como provam os programas de educação no trânsito de instituições de ensino espalhadas pelo mundo.

Na Suécia, as noções de trânsito seguro acontecem desde a chegada da turma mirim no ambiente escolar (a partir dos 4 anos). E continuam nos ensinos primário e secundário. Os resultados do trabalho desenvolvido são visíveis na prática: o país é exemplo de mobilidade urbana, com apenas 2,8 mortes para cada 100.000 habitantes.

Com foco em pessoas, a África do Sul desponta no cenário como referência nos métodos para formação de pedestres mais conscientes.

Programas como o Junior Traffic Training (Treinamento de Trânsito para Menores) se utilizam de jogos e exercícios para que a educação no trânsito seja atrativa para crianças de 7 a 10 anos.

Em locais físicos, as lições acontecem em pequenos centros de treinamento, com simulações que submetem os baixinhos a terem de tomar as decisões mais assertivas quando caminham por ruas movimentadas. A iniciativa visa melhorar o cenário atual do país, que é de cerca de 12.000 óbitos anuais por acidentes.

E no on-line?

A tecnologia não abandona pais e professores, que contam com aplicativos para dar o pontapé inicial na educação no trânsito de filhos e alunos.

Como o app Jogo da Memória Detran/PR, desenvolvido pela Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná (Celepar), disponível para IOS.

O sinal também está verde para a diversão nos aparelhos de sistema Android. O jogo Trânsito para Crianças traz, de forma interativa e lúdica, uma série de regras para motoristas e pedestres vencerem os desafios para que o sonhado trânsito seguro possa um dia se tornar realidade.

Tem mais alguma dica? Compartilhe com a gente nos comentários!

Essa causa não é apenas da esfera governamental. É de toda a sociedade. Diretores, professores e pais, unidos, devem agir para o incentivo constante de nossa juventude. A educação no trânsito salva milhares de vidas e ainda enche as CNHs de pontos de alegria.

Fonte: Dialogando - Educação no trânsito: como pais e escolas podem ajudar a criar futuros motoristas mais conscientes (2021)

Deixe uma resposta

O campo mensagem deve conter pelo menos 3 caracteres

Comentário(s)

  • bianca luzia vieira nipomoceno

    01/06/2021 19:44

    eu quero saber se tem como me ajudar?

    • Dialogando

      14/06/2021 14:44

      Oi, Bianca! Você busca por informações sobre educação no trânsito? Qual sua dúvida, por gentileza?

Educação no trânsito: como pais e escolas podem ajudar a criar futuros motoristas mais conscientes 2021-09-21 17:37:31
Newsletter

Receba nossas notícias e fique por dentro de tudo ;)